sobre_gn_1.png

Nos últimos três meses a alta foi de 6,02%

 

Nos últimos três meses, o volume de vendas do Gás Natural Veicular (GNV) cresceu 6,02% no Paraná. Os dados são do levantamento realizado mensalmente pela Compagas. Em julho, o consumo no estado era de 87.572 m³/dia, agosto atingiu 91.900 m³/dia e em setembro passou para 92.845 m³/dia. A alta se justifica pelas vantagens do GNV em relação aos combustíveis líquidos.

 

No mesmo período, o gás natural se manteve em cerca de 49% mais econômico que o etanol e a gasolina. Tal vantagem é possível pois, além de ser mais barato no preço, o GNV rende mais. Com um metro cúbico de GNV é possível rodar mais quilômetros do que com um litro de etanol ou gasolinal). Se um carro médio roda na cidade cerca de 7 km com 1 litro de etanol ou cerca de 10 km se estiver usando a gasolina, esse mesmo veículo passa a rodar no mínimo 13 km com 1 m³ de gás natural.

Além disso, no Paraná outro benefício é o desconto de 60% no valor do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para os veículos com GNV, - enquanto os carros abastecidos por gasolina e álcool pagam 2,5% sobre o valor do automóvel, os proprietários de carros com GNV pagam apenas 1%.

Atualmente, 37 postos comercializam o GNV no Paraná para uma frota de cerca de 33 mil veículos. Os postos estão nas cidades de Curitiba, Campo Largo, São José dos Pinhais, Ponta Grossa, Colombo, Paranaguá e Pinhais. Em Londrina, 1 posto comercializa o gás natural fornecido pela Gastech.