sobre_cpg_1.png

A região que hoje consome 3,7 milhões de m³ por dia tem potencial para absorver 11,28 milhões de m³, dos quais 4,11 milhões seriam destinados para o Paraná

 

Estudo contratado pelo Fórum Sul e pelas distribuidoras de gás natural Compagas, SCGás e Sulgás, sinaliza uma forte demanda por gás na região sul. Hoje, o mercado industrial do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul consome em média 3,7 milhões de m³ por dia, mas tem potencial de absorver 11,28 milhões m³, mostra o trabalho realizado pela consultoria Gas Energy.

Segundo o levantamento, que envolveu as distribuidoras e pesquisa junto a 450 indústrias de um universo de 1,6 mil, o Paraná tem demanda para 4,11 milhões, Santa Catarina para 2,57 e 4,6 milhões de m³ seriam para o Rio Grande do Sul. Considerando o consumo de gás em outros segmentos, como termelétricas e refinarias, o consumo do Sul, hoje ao redor de 7 milhões de m³, poderia passar para 30 milhões de m³.

Em relação às alternativas para atender essa demanda, além da ampliação da capacidade do Gasoduto Bolívia – Brasil, existe a possibilidade de trazer o combustível na forma liquefeita (GNL), de navio. O Brasil já tem essa operação na Bahia, no Ceará e no Rio de Janeiro. Uma outra opção é a construção de terminal de regaseificação no Rio Grande do Sul, que teve projeto aprovado em novembro com previsão de entrar em operação em 2019.

O presidente da Compagas, Luciano Pizzatto, afirma que a oferta de gás natural é uma forma indutora de desenvolvimento e é evidente a necessidade da busca por novas opções de oferta do combustível. “Temos intensificado os investimentos para atender um número cada vez maior de consumidores, levando o gás natural a mais regiões e possibilitando a diversificação da matriz energética do Paraná. Mas, para isso, é necessário que seja contínua e incansável a busca por suprimentos”, diz Pizzatto.