comercial1.png

Abastecer com GNV gera economia de 50% e garante desconto no IPVA

 

(Curitiba, fevereiro de 2014) Desde 1º de fevereiro, está valendo a nova tributação sobre a gasolina, que elevou o preço em R$ 0,22 por litro, por meio de cobrança de PIS/Cofins, num primeiro momento e, a partir de maio, por uma combinação de PIS/Cofins e Cide. Mas o repasse ao consumidor foi maior. Grande parte dos postos de combustíveis paranaenses elevaram a gasolina em R$ 0,30. E devido à expectativa de aumento de demanda, o preço do etanol também tem aumentado.  Com esse reajuste no preço de venda dos combustíveis, o gás natural veicular (GNV) se consolida como uma opção ainda mais vantajosa para os motoristas.

 

Depois desse reajuste, o litro da gasolina é encontrado por, no mínimo, R$ 3,09 no Paraná. Já o preço médio do GNV no estado, de acordo com a ANP, é de R$ 1,923/m³, variando de R$ 1,799 a R$ 1,999 o m³. Com o rendimento previsto (13 quilômetros por metro cúbico de gás natural e 10 quilômetros por litro de gasolina), para rodar cem quilômetros com o GNV o motorista gasta cerca de R$ 14,80, enquanto que para a gasolina o custo é de aproximadamente R$ 30,9. A economia é de mais de 50%.

Além de poupar na hora de abastecer, os proprietários de carros com GNV também têm desconto no IPVA. Para os carros movidos a gás natural o custo do imposto é de 1% sobre o valor do veículo, perante os 3,5% do valor sobre os veículos movidos a gasolina e/ou álcool. O preço da instalação do kit GNV, varia de R$ 3 mil a R$ 4 mil, e para quem roda cerca de 4.000 km no mês, por exemplo, o tempo de retorno do investimento é, em média, de 5 meses. Concessionária responsável pela distribuição do gás natural no Paraná, a Compagas conta atualmente com 38 postos revendedores de GNV, nas cidades de Curitiba, Campo Largo, Colombo, Paranaguá, Pinhais, Ponta Grossa e São José dos Pinhais. São mais de 30 mil veículos que já utilizam o gás natural no estado e 18 oficinas credenciadas pelo INMETRO para efetuar a conversão.