sobre_gn_1.png

No primeiro trimestre de 2015, a Compagas observou um aumento de 22% no volume de vendas para o segmento residencial

 

(Curitiba, abril de 2015) O consumo de gás natural pelo segmento residencial teve um significativo aumento nos três primeiros meses de 2015. De acordo com a Companhia Paranaense de Gás (Compagas), no primeiro trimestre desse ano o volume de vendas de gás natural para residências foi 22% maior do que no mesmo período do ano passado, o que corresponde a uma média de 12.037 m³/dia. No mês de fevereiro, a companhia registrou o maior índice, um crescimento de 31% em relação ao mesmo período de 2014, seguido pelos meses de março e janeiro, com altas de 20% e 16%, respectivamente.

 

As vantagens oferecidas pelo gás natural em relação a outros combustíveis estão entre as principais causas para o aumento no consumo, além do que, cada vez mais empreendimentos já habitados migram para o gás natural. Segundo a Compagas, desde o início de 2014 até março deste ano, 82 prédios da capital paranaense passaram a utilizar o gás natural, somando 6.065 novos domicílios atendidos. Ao todo, são 575 edifícios que já utilizam o sistema, totalizando 26.530 apartamentos.

Mudar a forma de abastecimento para o gás natural é mais simples do que parece. Mauro Melara, gerente de vendas do segmento urbano da Compagas, explica que, quando o imóvel já conta com uma tubulação de gás em boas condições, a adaptação é feita sem custos. Caso não tenha, a Compagas realiza o serviço. “Com o fechamento do contrato, a Compagas fornece toda a assessoria técnica necessária para a concepção e execução da solução da rede interna de gás do empreendimento. Caso a modalidade de fornecimento seja individual, também disponibilizamos os medidores e reguladores que cada morador deve ter”, conta Melara.

O gerente de vendas da Compagas explica que a expansão do uso de gás é uma vocação da cidade de Curitiba, por ser a capital mais fria do país, e representa muitas vantagens para os consumidores finais, como a segurança. “´Por apresentar densidade específica menor que a do ar, em casos de vazamento, a dispersão do gás natural na atmosfera é mais rápida, reduzindo os riscos de acidentes. O fornecimento contínuo elimina a preocupação do consumidor com estoque de combustível e, além disso, não é preciso destinar um local do edifício para armazenar botijões de gás, o que otimiza as áreas comuns do prédio”, completa Melara. Outro ponto forte é a medição individual do consumo, com a fatura emitida em nome do cliente.

Já são mais de 20 bairros atendidos pela Compagas em Curitiba e a companhia também tem planos de expandir a rede residencial para Araucária e Ponta Grossa nos próximos anos. Para conferir o mapa completo da rede de distribuição da rede para o segmento residencial, clique aqui.