sobre_gn_1.png

O projeto total contempla 7 km de rede e o investimento será de R$ 5 milhões até 2017

 

(Curitiba, fevereiro de 2016) A Companhia Paranaense de Gás (Compagas) investirá mais de R$ 3,4 milhões, ao longo 2016, nas obras da primeira fase do projeto de implantação da rede de distribuição que vai atender ao segmento residencial em Ponta Grossa. O investimento total nessa expansão será de aproximadamente R$ 5 milhões para a construção de 7 km de rede, até 2017.

 

 

O início das obras está previsto para o mês de maio. A Companhia já realizou a licitação para a execução do ramal tronco deste projeto e a empresa vencedora foi a Thompson e Azevedo & Cia Ltda. Com este projeto, Ponta Grossa se consolida como a primeira cidade do Estado do Paraná a ter abastecimento residencial urbano de gás natural, depois de Curitiba.

 

O Edifício Monet, na Vila Estrela, recebe o gás natural desde 2012, e a iniciativa incentivou a companhia a dar continuidade ao projeto de levar o combustível às demais residências de Ponta Grossa. Entre as vantagens apresentadas pelo gás natural para o consumidor residencial estão o fornecimento contínuo, que elimina a preocupação do consumidor com estoque de combustível e por ser canalizado não é preciso destinar um local do edifício para armazenar botijões de gás, o que otimiza as áreas comuns dos empreendimentos e reduz o trânsito de caminhões que atrapalham o trânsito e os moradores. Além disso, por apresentar densidade específica menor que a do ar, em casos de vazamento, a dispersão do gás natural na atmosfera é mais rápida, reduzindo os riscos de acidentes.

 

Projeto Ponta Grossa - Castro

 

A Compagas deve finalizar ainda no primeiro semestre de 2016 as obras que ligam os municípios de Ponta Grossa, Carambeí e Castro. A partir da conclusão, a Compagas solicitará a licença de Operação da rede de distribuição para início de fornecimento de gás natural.

 

Desde o mês de novembro, as empresas Cargill e Evonik, em Castro, iniciaram o consumo de gás natural. As empresas estão sendo abastecidas, de imediato, através do Gás Natural Comprimido (GNC) transportado pela Neogás. Após a finalização total das obras e obtenção das licenças necessárias para operação da Compagas, as indústrias serão interligadas à rede de distribuição de gás natural.