industrial3.png

Notícias

Porcelarte utilizará o combustível no processo de fabricação de porcelanas

 

A Compagas atenderá mais uma indústria do segmento cerâmico em Campo Largo. A Porcelarte utilizará o gás natural no processo de fabricação de suas porcelanas. O contrato, firmado através da Gerência de Vendas Industrial da companhia, prevê o início de fornecimento à empresa em fevereiro.

O objetivo do administrador é dar continuidade e acelerar os projetos de expansão da companhia

 

 

(Curitiba, janeiro de 2015) Fernando Eugênio Ghignone assumiu nesta quarta-feira (7) o cargo de diretor presidente da Companhia Paranaense de Gás (Compagas), concessionária responsável pela distribuição de gás natural no Paraná. A função antes era ocupada pelo empresário e engenheiro Luciano Pizzatto. Desde 2011, Fernando Ghignone estava à frente da presidência da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar).

A região que hoje consome 3,7 milhões de m³ por dia tem potencial para absorver 11,28 milhões de m³, dos quais 4,11 milhões seriam destinados para o Paraná

 

Estudo contratado pelo Fórum Sul e pelas distribuidoras de gás natural Compagas, SCGás e Sulgás, sinaliza uma forte demanda por gás na região sul. Hoje, o mercado industrial do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul consome em média 3,7 milhões de m³ por dia, mas tem potencial de absorver 11,28 milhões m³, mostra o trabalho realizado pela consultoria Gas Energy.

Contratos foram fechados em dezembro

 

A Compagas fechou contrato com mais cinco condomínios residenciais. São eles, o Palácio Real, Las Palmas, Palais Royal, Boulevard Batel e Martim Afonso. Os edifícios estão localizados nos bairros Batel, Centro, Bigorrilho e Água Verde, em Curitiba, e contemplam um total de 156 apartamentos.

Três novos empreendimentos contarão com o gás natural

 

Os edifícios 1.311 e Vila Parintins, ambos da construtora KLW, e o Terrasse Musique, da construtora Terrasse, fecharam contrato. Os edifícios, que estão localizados nos bairros Água Verde, Vila Izabel e Cristo Rei, contemplam um total de 68 apartamentos e vão consumir o gás natural nos fogões e aquecedores das residências. Nos três casos a medição será individual.