comercial1.png

Notícias

Empresa é a 10ª do segmento a utilizar o combustível

 

A Compagas passou a atender na última semana mais uma indústria do segmento cerâmico em Campo Largo. A Porcelarte utilizar desde o dia 12 o gás natural no processo de fabricação de suas porcelanas. O contrato foi firmado através da Gerência de Vendas Industrial da companhia.

Projeto está no plano de investimentos da companhia

 

A Compagas atenderá o município de Rolândia com o fornecimento de gás natural. Até 2017, a empresa investirá R$ 5 milhões na execução do projeto. A informação foi confirmada nesta quarta-feira (04) em reunião entre o diretor-presidente da Compagas, Fernando Ghignone, e o prefeito do município, Johnny Lehmann.

Grelharte, Domino’s Pizzaria, Sushi Palace e Qiang Restaurante terão gás natural

 

Mais quatro estabelecimentos comerciais instalados em Curitiba fecharam contrato com a Compagas para uso do gás natural.

Condomínios localizados nos bairros Cristo Rei e Bigorrilho terão medição individual

 

A Compagas fechou mais dois contratos no segmento residencial. Os edifícios Ilha Bela e Canadian estão localizados nos bairros Cristo Rei e Bigorrilho, ambos na capital paranaense. No total serão 35 unidades domiciliares que utilizarão o gás natural para aquecimento e cocção de alimentos. A medição de consumo nos dois condomínios será individual, ou seja, cada consumidor pagará apenas pelo seu consumo. Os contratos foram firmados através da Gerência de Vendas Urbano (GVU).

 

Abastecer com GNV gera economia de 50% e garante desconto no IPVA

 

(Curitiba, fevereiro de 2014) Desde 1º de fevereiro, está valendo a nova tributação sobre a gasolina, que elevou o preço em R$ 0,22 por litro, por meio de cobrança de PIS/Cofins, num primeiro momento e, a partir de maio, por uma combinação de PIS/Cofins e Cide. Mas o repasse ao consumidor foi maior. Grande parte dos postos de combustíveis paranaenses elevaram a gasolina em R$ 0,30. E devido à expectativa de aumento de demanda, o preço do etanol também tem aumentado.  Com esse reajuste no preço de venda dos combustíveis, o gás natural veicular (GNV) se consolida como uma opção ainda mais vantajosa para os motoristas.

Compartilhar