sobre_gn_1.png

Notícias

25 estabelecimentos já utilizam o gás natural para a cocção de alimentos e para o aquecimento


O Mercado Municipal de Curitiba agora é cliente da Compagas. Desde o início do mês de maio, 25 estabelecimentos utilizam o gás natural para a cocção de alimentos e para o aquecimento - o que se reflete em um consumo médio de 150 m³ por dia. "Estamos muito orgulhosos em atender este espaço de tanta tradição e de tantas histórias. A parceria com a Associação dos Comerciantes Estabelecidos no Mercado Municipal de Curitiba (Ascesme) foi muito importante, ainda mais por coincidir com a greve dos caminhoneiros, o que possibilitou que o Mercado funcionasse a pleno vapor", afirma o diretor-presidente da Compagas, Luiz Malucelli Neto.
O espaço inaugurado em 1958 é um ponto turístico de Curitiba e um dos principais locais para compra de hortifrutigranjeiros na cidade. O Mercado dispõe ainda de lojas de venda de souvenirs, produtos decorativos, artesanatos, presentes e uma ampla praça de alimentação, que agora é atendida pela rede de distribuição da Compagas. Atualmente, mais de 65 mil pessoas passam pelo Mercado semanalmente.

Manutenção correta dos aparelhos pode evitar acidentes com monóxido de carbono


 

(Curitiba, junho de 2018) Com os termômetros baixando e o inverno se aproximando, a tendência é que as pessoas deixem portas e janelas fechadas por mais tempo, a fim de manter o calor dentro de casa. Mas para quem possui equipamentos a gás, o cuidado precisa ser redobrado. Isso porque ambientes mal ventilados se tornam o cenário ideal para o acúmulo de um gás tóxico: o monóxido de carbono. Sem cor e nem cheiro, este gás é de difícil percepção e sua inalação pode ser fatal.

A Companhia Paranaense de Gás (Compagas) orienta moradores e proprietários de estabelecimentos que utilizam o gás natural a ficarem atentos com o furto de estações - equipamentos responsáveis pela medição do consumo e por reduzirem a pressão do gás até seu destino final. Além do risco da interrupção no fornecimento, há também o perigo de vazamentos. "Estes equipamentos só podem ser manuseados por técnicos da Compagas. Em casos de furto, podem ocorrer vazamentos, risco de chama e até mesmo eventual explosão", explica Glauber Cordeiro, engenheiro de operações da Compagas.

Há também o transtorno direto aos clientes, que podem ficar desabastecidos até a substituição dos equipamentos. A orientação é que, nestes casos, a população entre em contato com a Compagas pelo 0800 643 8383, para que técnicos da Companhia executem todos os procedimentos necessários para garantir a segurança e o retorno no fornecimento de gás natural.

COMPANHIA PARANAENSE DE GÁS – COMPAGAS

Estabelecimentos farão uso do gás natural para aquecimento e cocção de alimentos.

 

(Curitiba, 07 de junho de 2018) Restaurante Café do Monge e mais dois edifícios são os novos contratos firmados pela equipe de vendas da Compagas, que somam mais 75 unidades atendidas com gás natural. Os edifícios Torre Sete de Setembro e Solar das Cerejeiras, localizados em Curitiba, contarão com o combustível canalizado para atividades de cocção e aquecimento nas unidades domiciliares e nas áreas comuns dos empreendimentos, como em salões de festas, zeladorias e churrasqueiras. O restaurante também contará com o combustível para cocção de alimentos.

A Companhia Paranaense de Gás (Compagas) informa que o fornecimento de gás natural para clientes atendidos pela rede de distribuição não serão afetados devido à greve dos caminhoneiros. "O gás natural é distribuído por meio de tubulações subterrâneas, de forma segura e ininterrupta. Portanto, não há risco dos consumidores ficarem sem o combustível", explica Luiz Malucelli Neto, diretor-presidente da Compagas.

O fornecimento de gás natural pode sofrer interrupções apenas em locais atendidos por meio do Gás Natural Comprimido (GNC) e pelo Gás Natural Liquefeito (GNL) – Curitiba, Colombo, Paranaguá, São Mateus do Sul e Londrina. Isso porque, nestes municípios, o combustível chega por meio de caminhões até as estações de consumo. No total, 6 clientes industriais e 4 postos de combustível que revendem o Gás Natural Veicular (GNV) podem ter a descontinuidade no abastecimento. “Destaca-se que estas operações mencionadas representam menos de 5% do volume total distribuído pela Compagas e que as demais, realizadas pela rede de distribuição de gás natural não sofrem impactos em decorrência da greve”, finaliza Malucelli.

Atenciosamente,
COMPANHIA PARANAENSE DE GÁS – COMPAGAS

Compartilhar